.

.

TEMA:

Blog dedicado aos apaixonados por cães!
Assim como eu!!!

Fã Clube do BIDU:

Nossos amigos são fofos também!!!

Nossos amigos são fofos também!!!

Scooby Doo e Mel

Photo Flipbook Slideshow Maker

terça-feira, 1 de março de 2011

Cães Sem Raça Definida: nossos queridos vira-latas!


Fala-se muito nos cães de raça pura, esquecendo-se dos cães sem raça como se estes não fossem tão bons ou tão bonitos, o que absolutamente não é verdade. Durante o processo de evolução do cão a partir do ancestrais do cão doméstico, os primeiros exemplares “cães” que surgiram, seriam animais parecidos com os nossos vira-latas atuais. A partir deles é que foram selecionadas as primeiras variedades que depois viraram as raças caninas. Assim podemos dizer que todo cão de raça é um vira-lata especialista e que todo vira-lata é cão generalista.


Para entender o que é um “vira-lata” ou SRD (cão Sem Raça Definida), é preciso primeiramente entender o que é uma raça canina. Atualmente as raças são definidas por padrões que dizem como elas devem ser fisica e psicologicamente. Mas antes disso as ‘raças’ eram apenas tipos característicos de determinadas regiões e que eram empregados para determinadas funções. Cães nativos de regiões desérticas utilizados para a caça sobre a areia acabaram se adaptando a ter pernas longas e visão apurada para localizar a presa em espaços abertos, para só depois serem considerados uma raça.


À medida que os homens foram vendo as aptidões de cada cachorro, pastoreio, caça, combate etc…, foram cruzando seus cães de maneira a não perder essas características. Ou seja, um fazendeiro com um cão pastor muito bom e um farejador também muito bom, tentaria cruzar seus cães com outros bons pastores e outros bons farejadores, talvez pertencentes até mesmo a outro fazendeiro caso ele nao tivesse outros bons exemlares, mas não iria querer que eles cruzassem entre si para não correr o risco de ter um cão que não fosse nem bom pastor, nem bom farejador. Dessa maneira as raças caninas surgiram primeiro selecionadas pelas suas funções e só depois ganharam uma aparência padronizada. Toda raça, originalmente era composta simplesmente por cães nativos de uma região. Com exceção talvez das raças mais modernas que foram criadas a partir de raças pré existentes.


Os vira-latas atuais são como estes cães nativos só que se reproduzem sem controle humano. Em geral, são bons caçadores, bons guardas e bons farejadores mas dificilmente serão excepcionais em alguma dessas funções ao contrário de um cão de raça tipicamente farejadora, que será um rastreador excepcional mas dificilmente será um bom guarda. Os tipos de vira-latas são diferentes dependendo das partes do mundo onde são encontrados, uma vez que respondem ao ambiente onde vivem. E costumam manter uma certa homogeneidade dentro de uma mesma região com algumas variações, sobretudo, devido à mistura com cães de raça.


Mesmo não sendo possível prever exatamente o quanto um filhote sem raça vai crescer quando é levado pra casa, dependendo da região é possivel, sim, ter uma base. Em geral cães de regiões urbanas e de clima tropical costumam ter pêlo curto e porte mediano, temperamento sociável, não costumam ser desconfiados com estranhos e gostam de agradar seus donos. Cães sem raça de regiões de clima temperado e pouco povoadas geralmente têm porte grande, pêlos variando do curto ao semi-longo, são mais desconfiados e têm temperamento mais independente. Deste ponto de vista é incorreto considerar os vira-latas ao redor do mundo todo como um único tipo de cão. Essa descrição no entanto não é completamente confiável devido ao fato de que não existe nenhum controle sobre a reprodução destes cães. São muitos os casos de cães de raça pura, cruzarem com cães sem raça passando características típicas da raça para os filhotes. Em regiões como o nordeste brasileiro é possível encontrar cães sem raça com olhos azuis e pelagem semi longa morando nas ruas, o que não é o normal, mas que mostra que ele tem um possível ancestral da raça husky siberiano. Assim como também é possível encontrar cães com orelhas pendentes ou eretas, quando o tipo original seria o de orelhas eretas.


Caso alguém queria passar a controlar a reprodução dos cães vira-latas brasileiros, para que o tipo original não se perca devido a misturas com cães de raça, estaria criando uma nova raça.


Aqui nós vamos diferenciar o cão de raça mestiça do SRD (sem raça definida) ou vira-lata, embora alguns os tratem da mesma maneira eles apresesetam algumas diferenças fundamentais. O cão mestiço é aquele que é resultante de um cruzamento entre dois cães de raças pura mas diferentes, enquanto que o cão vira-lata típico é filhote de outros cães vira-latas. O cruzamento que origina cães mestiços ocorre, normalmente devido a algum acidente, enquanto que os acasalamentos dos cães vira-latas ocorrem de acordo com a hierarquia social dos cães que habitam um determinado local, um bairro por exemplo.


O verdadeiro cão vira-lata possui um genoma bastante heterogêneo e portanto possui uma menor disposição para a maioria das doenças genéticas que afetam muitos cães de raça pura. Muitos pensam, por isso, que os cães vira-latas são mais resistentes a doenças em geral. Isto é apenas parcialmente verdade. Cães sem raça precisam ser vacinados, vermifugados e protegidos de doenças como qualquer outro cachorro. Precisam de uma alimentação adequada e de exercícios. Algumas pessoas acham que cães de raça têm “frescura” e que os cuidados são desnecessários. Isso é um absurdo.


Cães de rua são realmente mais resistentes que cães criados em casas, mas isso não depende do fato de terem ou não raça. Cães nascidos na rua não recebem cuidados, nem vacinas e nem têm quem cuide de seus ferimentos. Mesmo que sejam de raça pura qualquer cachorro submetido a estas condições só sobrevive se for realmente forte. Seguindo a lei da seleção natural de Darwin, em algumas gerações os cães de rua serão realmente mais resistentes que os cães criados em casa porque se não o fossem morreriam. Criados em casa, precisam dos mesmos cuidados que qualquer animal doméstico.


Os cães de rua são um problema em diversas cidades do mundo. Nas ruas os cães estão sujeitos a doenças, maltratos, atropelamentos, frio, fome e parasitas. Além disso no mundo todos cães de rua produzem toneladas de fezes dentro das cidades, mordem pessoas e podem disseminar doenças como leishmaniose ou raiva para pessoas e para outros animais. A principal preocupação das autoridades é com o controle da raiva. Cães sem dono não são vacinados e podem iniciar focos da doença dentro de áreas urbanas. Em algumas regiões do leste europeu existem grupos de cães sem dono vivendo como cães selvagens dentro de cidades, eles moram em construções abondonadas e existem casos de ataques fatais a pessoas.


A melhor medida para controlar o número de animais vivendo nas ruas é a castração dos mesmos. A adoção de cães abandonados é outra maneira de ajudar um cão vira-lata ainda é uma excelente opção para quem quer um cãozinho bastante versátil.

Daqui:
http://www.seucachorro.com/vira-latas

Esta postagem foi uma homenagem à Mel, uma vira-latinha arteira e muito amada!

Lambeijocas do...

Um comentário:

Pepi disse...

Aumiguinhos Bidu e Mel,
Adoramos o novo visual do Blog
Estas letrinhas são tuuudo
Muito boa esta postagem
A Mel tá muito fofa...não precisa ficar com ciumes,Bidu
Você é o mais lindo de todos
Lambeijos aumigos do
Pepi

Related Posts with Thumbnails

Conheça os blogs da mamãe!

Conheça o blog divulgador dos blogs da mamãe!